Solidariedade ao povo gaúcho mobilizou 59% dos paranaenses
09/07/2024 07:14 em GERAL

Os paranaenses fizeram bonito para ajudar a população afetada pelas chuvas que castigaram duramente mais de 90% das cidades do Rio Grande do Sul em maio deste ano. Pesquisa encomendada pela startup Loft, que atua no setor imobiliário, revelou que 59% dos paranaenses fizeram alguma doação. Não por acaso a Coordenadoria Estadual da Defesa Civil do encaminhou 13,2 mil toneladas de donativos ao povo gaúcho.

Essa grande rede de solidariedade fez com que o Paraná ficasse em terceiro lugar, junto com São Paulo, entre os estados que mais ajudaram o Rio Grande do Sul. Só Santa Catarina e o próprio Rio Grande do Sul forma mais efetivos, com 73% da população consultada em cada estado fazendo algum tipo de doação. No Brasil, a solidariedade mobilizou 54% da população.

Entre os paranaenses que participaram da amostragem, 47% responderam que fizeram doações e pretendem doar novamente e 12% disseram que doaram, mas não devem repetir a ajuda. Além disso, 36% ainda não doaram, mas têm a intenção de fazer alguma doação e apenas 4% não doaram nem pretendem doar.

 

MOBILIZAÇÃO

No Paraná, a Defesa Civil e o Gabinete da Primeira-dama Luciana Saito Massa coordenaram as mobilizações do SOS RS, que arrecadou 3,2 mil toneladas de alimentos, 4,9 mil litros de água, 2,4 mil toneladas de materiais de limpeza, 2,4 mil toneladas de material de higiene e 163 toneladas de ração animal.

"Fico muito feliz em ver a solidariedade do povo paranaense colocada em prática. Mostramos um grande poder de mobilização que fez a diferença na vida dos nossos irmãos gaúchos que sofreram com as fortes chuvas. Foi um trabalho feito com muito carinho e dedicação", ressaltou a primeira-dama.

Para que as doações chegassem até o Rio Grande do Sul, 557 caminhões foram mobilizados. A logística foi coordenada pela Defesa Civil com a participação de uma rede de apoio formada por órgãos públicos, empresas e transportadoras paranaenses, que destinaram parte de sua frota para auxiliar o estado vizinho. (Foto: Valdelino Pontes/Secid)

COMENTÁRIOS